Maternidade Doutor Moura Tapajóz reforça pedidos para doação de leite humano em Manaus

O Posto de Coleta de Leite Humano, da Maternidade Doutor Moura Tapajóz (MMT), também conhecido como “Cantinho da Amamentação”, apresentou uma queda expressiva no número de doadoras nas últimas semanas e pede doações. A baixa adesão, normalmente verificada no período de final de ano, resultou em um estoque muito baixo no início de 2022 e a recuperação esperada no primeiro trimestre não foi alcançada.

A preocupação da Prefeitura de Manaus é não deixar de abastecer todos os recém-nascidos que estão na UTI da maternidade e que necessitam do leite materno.

“É importante que as mulheres lactantes tenham em mente que doar leite literalmente salva vidas. Os bebês doentes e prematuros da MMT precisam muito desse suporte. Cada 300 mililitros (ml) de leite sustentam, em média, um recém-nascido por dia”, destacou a enfermeira obstetra Núbia Cruz, diretora da maternidade.

O Posto de Coleta de Leite Humano da MMT funciona 24 horas e dá apoio às puérperas e mulheres que estão amamentando, com consultas individuais de orientação sobre amamentação. O posto dispõe, ainda, de automóvel com motorista, exclusivamente para coleta de leite no domicílio das mães doadoras, buscando os vidros cheios e substituindo por vidros esterilizados.

A coleta domiciliar pode ser agendada pelo telefone (92) 99240-8080, canal exclusivo para o Cantinho da Amamentação, somente por mensagem de WhatsApp, de segunda a sexta-feira, em horário comercial, ou a doação pode ser realizada presencialmente na própria sede da maternidade, localizada na avenida Brasil, n° 1.335, bairro Compensa I, todos os dias, no horário das 8h às 17h.

Segundo a enfermeira Lílian Regina Aguiar de Carvalho, responsável pelo Cantinho da Amamentação, é importante ressaltar que toda mulher saudável que está amamentando pode ser voluntária e ajudar a salvar a vida de vários recém-nascidos, inclusive aquelas que não tiveram seus filhos na MMT.

“Fazemos um apelo a todas as mães que estão em casa, e que produzam excedente de leite, para que se sensibilizem com a situação e entrem em contato conosco, para que possamos orientar e agendar a coleta”, explicou Lílian Aguiar. “Quem não puder doar, por favor, comente com os amigos e família e ajude a divulgar a informação”, concluiu a enfermeira.

A amamentação é recomendada pelo Ministério da Saúde para crianças pelo menos até dois anos ou mais, sendo, de maneira exclusiva, até os seis meses. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), cerca de 6 milhões de vidas são salvas todos os anos devido ao aumento das taxas de amamentação exclusiva até o sexto mês de idade.

 

Foto: João Viana / Arquivo Semcom


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem