Prefeitura de Manaus promove capacitação em psiquiatria para médicos da Atenção Primária

A Prefeitura de Manaus vai realizar, a partir desta sexta-feira, 3/12, no auditório Vânia Pimentel, da Universidade Nilton Lins, no Parque das Laranjeiras, zona Centro-Sul, a segunda Capacitação em Psiquiatria para médicos da Atenção Primária à Saúde. O objetivo é qualificar os profissionais médicos que fazem o primeiro atendimento a pacientes com sofrimento psíquico, repassando o conhecimento técnico para conduta clínica junto a este usuário.

A capacitação foi organizada pela Rede de Atenção Psicossocial do Departamento de Redes de Atenção da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e terá carga horária total de 30 horas, distribuídas em sete módulos mensais, divididos entre aulas teóricas e estudo de caso. O médico Leandro Fajardo, psiquiatra, servidor da Semsa lotado no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Benjamim Matias Fernandes, no Parque 10 de Novembro, e atual coordenador da disciplina de Psiquiatria Clínica da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), será o responsável pelo treinamento.

A titular da Semsa, Shádia Fraxe, destaca a importância da qualificação no contexto de atendimentos do SUS. “A Atenção Primária à Saúde é a principal porta de entrada no Sistema Único de Saúde (SUS) e responsável pela coordenação do cuidado, ordenando as ações e serviços disponibilizados na rede, incluindo as de saúde mental. As equipes de atenção primária possuem um papel estratégico no sucesso das ações também no campo da saúde mental. O ideal é que pelo menos 80% dos casos de sofrimento psíquico encontrassem resolutividade neste nível de atenção à saúde”, afirmou.

Atualmente, o acompanhamento de pacientes com transtorno mental tem sido realizado predominantemente em serviços especializados, razão da necessidade de capacitar os profissionais médicos nesse cuidado.

O conteúdo da capacitação inclui temas como “Teoria das personalidades e seus transtornos”; “Anamnese do sono”; “Higiene do sono e uso racional de hipnóticos”, “Transtornos relacionados ao álcool e outras drogas”; “Esquizofrenia”; “Emergências psiquiátricas, incluindo suicídio”; “Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)”; “Transtornos do humor: depressão e transtorno do humor bipolar”; “Transtornos de ansiedade” e “Uso racional dos benzodiazepínicos”.

Foram disponibilizadas 200 vagas, divididas entre os Distritos de Saúde Leste, Oeste, Norte, Sul e Rural, além da oferta de vagas ao Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), ao Espaço de Atendimento Multidisciplinar ao Autista Amigo Ruy (EAMAAR), Fundação Dr. Thomas e Centro Especializado em Reabilitação (CER) para médicos que atuam na saúde indígena, sendo 100 participantes no horário matutino e 100 participantes no horário vespertino.


Fotos : João Viana / Arquivo Semcom

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem