Parceria entre prefeitura e Ministério Público incentiva vacinação infantojuvenil nas escolas de Manaus

A Prefeitura de Manaus irá apoiar o Ministério Público do Estado (MPE-AM) na realização do projeto “Juntos pela Vida”, lançado na manhã desta quinta-feira, 9/6, com o intuito de incentivar o aumento da cobertura vacinal de crianças e adolescentes. A parceria será desenvolvida por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Conforme o secretário municipal de Saúde, Djalma Coelho, os gestores da área de educação foram capacitados entre os dias 7 e 9 deste mês, na sede do MPE-AM, no bairro Nova Esperança, zona Oeste, para que possam promover atividades de sensibilização com os estudantes, pais e responsáveis.

“Esse é um projeto criado pelo Ministério Público e que a Semsa abraçou, pois a ajuda de outras instituições é essencial para reforçar o engajamento da população na multivacinação, que inclui as vacinas do calendário básico e contra a Covid-19. Vamos envolver os professores nesse trabalho pois eles são verdadeiros formadores de opinião e poderão multiplicar esses conhecimentos à toda comunidade escolar”, afirmou.

Djalma ressaltou ainda que a ampliação da cobertura vacinal de crianças e adolescentes é necessária para diminuir a vulnerabilidade para doenças imunopreveníveis, já erradicadas há alguns anos e que podem reaparecer. No próximo sábado, 11, a Prefeitura irá promover o “Dia D” de multivacinação para reforçar os imunizantes de toda a população da cidade.

De acordo com a procuradora de Justiça Silvana Cabral, as escolas municipais que atingirem a meta de 80% dos estudantes com calendário vacinal atualizado serão reconhecidas pelo MPE com um certificado de ambiente seguro para a educação.

“Nós precisamos ampliar a conscientização sobre a proteção por meio das vacinas, afastando notícias falsas, pois essas ferramentas são fundamentais para toda a humanidade, na medida em que doenças erradicadas estão voltando com muita força e podem tirar nossas crianças e adolescentes da sala de aula mais uma vez, como aconteceu na pandemia de Covid-19”, destacou.

A procuradora frisou que o calendário de vacinação é obrigatório para todas as crianças e adolescentes, porém ele não está sendo cumprido pelos pais e responsáveis, que estão deixando de levar seus filhos às salas de imunização, o que tem resultado na baixa cobertura vacinal na cidade.


Fotos: Camila Batista / Semsa

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem